..

29 de abr de 2016

Dublin: intercâmbio em uma cidade global

Na entrevista de hoje, você vai saber um pouco mais sobre a cidade de Dublin, que está localizada na Irlanda, sendo também a maior cidade e capital do país. Além disso, Dublin foi o destino de intercâmbio do fisioterapeuta Felipe Araújo, que ficou por lá durante quatro semanas para intercâmbio em inglês e contou pra gente como foi essa experiência.

(Foto: Arquivo pessoal)
Só para você entender um pouco do que Dublin é, basta saber que ela é uma cidade global. "Mas, o que isso significa?", você pode até pensar... Bem, significa que a cidade tem ótimos níveis de qualidade de vida, possui um sistema de transporte super avançado, é sede de grandes instituições de ensino, de artes e de multinacionais, entre outros atributos.   

Mas, vamos ao que interessa! Porque melhor do que ler sobre a capital irlandesa é ler o depoimento de quem esteve por lá e vivenciou a cidade por quase um mês. 



É a sua primeira experiência no exterior? Como surgiu o interesse pela Irlanda e por Dublin, especificamente?

Sim. O interesse surgiu devido à relação custo-benefício Irlanda/Dublin oferece e a fama de ser um país hospitaleiro com intercambistas.

O que mais surpreendeu você em Dublin?

A educação e a organização do Irlandês e sua pontualidade.

(Foto: Arquivo pessoal)

No início, teve dificuldades para se adaptar ao novo país? Quais?

As dificuldades sentidas foram o frio e o sotaque irlandês, esse último rapidamente superado.

Que aprendizados tem absorvido com a vivência em um país de contextos tão diferentes do Brasil?

O maior aprendizado pra mim foi a importância da pontualidade, mas a notória e já sabida diferença de educação é algo que ficou mais evidente entre os dois países.

(Foto: Arquivo pessoal)

Em um país que tem dois idiomas principais, o irlandês e o inglês, o intercâmbio se torna ainda mais proveitoso, por ter a oportunidade de absorver um pouco do irlandês?

O Gaélico é uma língua que é utilizada principalmente no interior, e na capital se vê mais em placas e em nomes. É uma língua complicada de se entender, mas que com certeza, torna a vivência mais interessante.

Quando o período do intercâmbio chegar ao fim, do que você mais sentirá falta de Dublin?

Da organização da cidade e da educação das pessoas, além do aprendizado diário do inglês.


E aí, deu pra entender a maravilha que é a cidade de Dublin e, ainda mais, viver nessa cidade global? Então, agora você já tem mais uma cidade pra colocar na sua lista de destinos de intercâmbio, ok? :D

22 de abr de 2016

Intercâmbio em Londres: o começo de um sonho

Seja em um filme ou em uma revista, na TV ou em vídeos e blogs na internet, muita gente já conheceu um pouquinho do que é a cosmopolita Londres, na Inglaterra. A cidade é conhecida por ser um centro cultural e destino de intercambistas, a terra da rainha, dos Beatles, de um povo pontual, do ônibus de dois andares, entre outras coisas. E as cabines vermelhas de telefone? Inconfundíveis.
(Foto: arquivo pessoal)

Mas, vamos combinar: nada se compara com a experiência de conhecer ao vivo e bem de perto a cidade inglesa. Quem realizou esse sonho foi a Maria Clara Serzedo (20), estudante de Medicina, que passou o período de 03 semanas em Londres para se aperfeiçoar em inglês e, claro, se aventurar pela cidade. E sabe o que ela achou de tudo isso? Segue abaixo!


Ao decidir pela realização do intercâmbio, por que escolheu Londres? Nunca pensei em outro lugar para fazer meu primeiro intercâmbio, já que sempre fui apaixonada pelo inglês britânico. Meu desejo de conhecer a Inglaterra é antigo – pra falar a verdade, começou quando eu lia/assistia Harry Potter e ficava sonhando com todos aqueles lugares maravilhosos! Rs.

Por ser uma das cidades mais famosas e visitadas em todo o mundo, ainda foi possível se surpreender com o lugar?
E como! Londres é enérgica - contemporânea, vibrante, mas ainda com um “charme” de que guarda séculos de História.

(Foto: arquivo pessoal)

O que mais gostou na cidade inglesa? Cada aspecto da cidade me encantou de alguma maneira. A segurança, o transporte público (super!) eficiente, a variedade de entretenimento para todos os públicos, os charmosos parques em diversos pontos da cidade, os locais históricos – onde a tradição se “mistura” com a modernidade de maneira ímpar, e até o clima, vai!

E o que mais gostou no modo de viver dos londrinos? O modo de vida dos londrinos é bem diferente do nosso - e acho que foi isso o que mais gostei! Rs. Poder vivenciar uma nova realidade é enriquecedor. Cruzar a cidade usando o ‘underground’; sentar na primeira fileira do segundo andar dos charmosos ônibus vermelhos; ir para uma cidade vizinha – ou mesmo país – de trem; tomar café da manhã ou almoçar nas ‘stations’ - antes de correr para pegar a linha de metrô certa; se aquecer com um chocolate quente ao mesmo tempo que passeia nos inúmeros ‘parks’ da cidade, sem falar em andar pelas ruas e escutar aquele ‘british accent’ – o sotaque inglês -  maravilhoso!

  
(Foto: arquivo pessoal)
Sobre o cotidiano em outro país, com pessoas inicialmente desconhecidas, o que destaca como lições valiosas que pode aprender? Na Eurocentres (escola onde fiz o curso de inglês), pude fazer amizades novas de várias nacionalidades. Aprender um pouco, todo dia, sobre essas pessoas e os costumes de seus países foi uma experiência maravilhosa. O cotidiano em outro país me fez ver tudo de um novo ponto de vista – como o mundo é gigante!

(Foto: arquivo pessoal)
Que dificuldades surgiram durante o aprendizado do inglês? O que você fez para superá-las? Muitas vezes, o mais difícil é saber se expressar em outra língua – o que melhora muito com a prática: conversação, no dia a dia, situações em que a única alternativa é falar inglês!

O que observa que mudou em você antes e depois da experiência? Houve amadurecimento? Apesar da curta duração do intercâmbio, vejo que meu inglês melhorou muito, não apenas a pronúncia como a desenvoltura de falar outra língua. Além disso, amadurecimento é o que viajar pra lugares novos proporciona: você muda sua perspectiva, conhece novos modos de viver, se expande.

Ao fim da experiência, o que considera que aproveitaria para fazer e não fez durante o período de intercâmbio? Ficar mais tempo! Hahaha. Londres é incrível – desejo passar futuramente uma temporada maior por lá.

(Foto: arquivo pessoal)

Maria Clara, pelas suas palavras, a gente tem certeza que o período de três semanas foi apenas o começo do seu sonho. Porque melhor do que ir a Londres, é voltar a Londres. Estamos certos? Então, até a próxima! :D 

8 de abr de 2016

Não deixe o seu sonho do intercâmbio se tornar um pesadelo


A experiência do intercâmbio pode ser a realização de um sonho na vida de qualquer pessoa. Se tudo der certo, né? Mas, e se não der? Pode virar pesadelo! Para evitar isso, um bom e antecipado planejamento é fundamental. Buscar uma empresa compromissada, reconhecida em sua área de atuação e com profissionais sérios é o início de tudo.

Um indicativo de que uma empresa tem essas qualidades é obter o selo Belta. Não sabe o que isso significa? Deixa a gente te explicar. 

A Brazilian Educational & Language Travel Association (Associação Brasileira de Organizadores de Viagens Educacionais e Culturais), ou simplesmente Belta reúne um grupo seleto formado pelas principais instituições do Brasil que atuam na área de cursos, estágios e intercâmbios no exterior. Essa associação é reconhecida internacionalmente como um ótimo indicativo de qualidade.

Fonte: Google
 Para fazer parte desse grupo, existem algumas exigências. E, imagine só: se uma empresa consegue responder positivamente a todos esses critérios, então recebe o selo, entendeu? 

“Hmm, certo. Mas que critérios são esses?”, você pode pensar. Então, vamos lá. Segue a lista:

1. Apresentar ao cliente de modo detalhado tudo o que está incluso no preço do serviço, inclusive tratar sobre formas de pagamento e cotação de moedas, de forma que você, cliente, fique por dentro de todos os detalhes;
2. Tratar sobre características socioeconômicas e culturais do destino escolhido para intercâmbio;
3. Deixar você super informado de todos os aspectos dos programas de viagem;
4. Agir com responsabilidade, honestidade e compromisso, de forma exemplar;
5. Manter sob sigilo seus dados, utilizando-os para outras atividades apenas se houver consentimento e permissão;
6. Informar sobre normas de comportamento em outros países;
7. Entre algumas outras normas!

Fonte: Google
Ah, e vale o lembrete: caso uma empresa deixe de obedecer a algumas das normas do código de ética da Belta, sabe o que acontece? Multa! Coisa séria, né?

Contratar um serviço mas não receber todas as informações fundamentais, chegar no exterior e se deparar com problemas sérios e ainda em outro idioma para resolver: parece que isso não existe, mas é melhor não arriscar.

Vai realizar o sonho do intercâmbio? Antes mesmo de começar a sonhar, nosso conselho é: procure nossos serviços e nossos agentes. Afinal, a Embarque Educacional tem o selo Belta!


Fonte: Belta