..

22 de abr de 2016

Intercâmbio em Londres: o começo de um sonho

Seja em um filme ou em uma revista, na TV ou em vídeos e blogs na internet, muita gente já conheceu um pouquinho do que é a cosmopolita Londres, na Inglaterra. A cidade é conhecida por ser um centro cultural e destino de intercambistas, a terra da rainha, dos Beatles, de um povo pontual, do ônibus de dois andares, entre outras coisas. E as cabines vermelhas de telefone? Inconfundíveis.
(Foto: arquivo pessoal)

Mas, vamos combinar: nada se compara com a experiência de conhecer ao vivo e bem de perto a cidade inglesa. Quem realizou esse sonho foi a Maria Clara Serzedo (20), estudante de Medicina, que passou o período de 03 semanas em Londres para se aperfeiçoar em inglês e, claro, se aventurar pela cidade. E sabe o que ela achou de tudo isso? Segue abaixo!


Ao decidir pela realização do intercâmbio, por que escolheu Londres? Nunca pensei em outro lugar para fazer meu primeiro intercâmbio, já que sempre fui apaixonada pelo inglês britânico. Meu desejo de conhecer a Inglaterra é antigo – pra falar a verdade, começou quando eu lia/assistia Harry Potter e ficava sonhando com todos aqueles lugares maravilhosos! Rs.

Por ser uma das cidades mais famosas e visitadas em todo o mundo, ainda foi possível se surpreender com o lugar?
E como! Londres é enérgica - contemporânea, vibrante, mas ainda com um “charme” de que guarda séculos de História.

(Foto: arquivo pessoal)

O que mais gostou na cidade inglesa? Cada aspecto da cidade me encantou de alguma maneira. A segurança, o transporte público (super!) eficiente, a variedade de entretenimento para todos os públicos, os charmosos parques em diversos pontos da cidade, os locais históricos – onde a tradição se “mistura” com a modernidade de maneira ímpar, e até o clima, vai!

E o que mais gostou no modo de viver dos londrinos? O modo de vida dos londrinos é bem diferente do nosso - e acho que foi isso o que mais gostei! Rs. Poder vivenciar uma nova realidade é enriquecedor. Cruzar a cidade usando o ‘underground’; sentar na primeira fileira do segundo andar dos charmosos ônibus vermelhos; ir para uma cidade vizinha – ou mesmo país – de trem; tomar café da manhã ou almoçar nas ‘stations’ - antes de correr para pegar a linha de metrô certa; se aquecer com um chocolate quente ao mesmo tempo que passeia nos inúmeros ‘parks’ da cidade, sem falar em andar pelas ruas e escutar aquele ‘british accent’ – o sotaque inglês -  maravilhoso!

  
(Foto: arquivo pessoal)
Sobre o cotidiano em outro país, com pessoas inicialmente desconhecidas, o que destaca como lições valiosas que pode aprender? Na Eurocentres (escola onde fiz o curso de inglês), pude fazer amizades novas de várias nacionalidades. Aprender um pouco, todo dia, sobre essas pessoas e os costumes de seus países foi uma experiência maravilhosa. O cotidiano em outro país me fez ver tudo de um novo ponto de vista – como o mundo é gigante!

(Foto: arquivo pessoal)
Que dificuldades surgiram durante o aprendizado do inglês? O que você fez para superá-las? Muitas vezes, o mais difícil é saber se expressar em outra língua – o que melhora muito com a prática: conversação, no dia a dia, situações em que a única alternativa é falar inglês!

O que observa que mudou em você antes e depois da experiência? Houve amadurecimento? Apesar da curta duração do intercâmbio, vejo que meu inglês melhorou muito, não apenas a pronúncia como a desenvoltura de falar outra língua. Além disso, amadurecimento é o que viajar pra lugares novos proporciona: você muda sua perspectiva, conhece novos modos de viver, se expande.

Ao fim da experiência, o que considera que aproveitaria para fazer e não fez durante o período de intercâmbio? Ficar mais tempo! Hahaha. Londres é incrível – desejo passar futuramente uma temporada maior por lá.

(Foto: arquivo pessoal)

Maria Clara, pelas suas palavras, a gente tem certeza que o período de três semanas foi apenas o começo do seu sonho. Porque melhor do que ir a Londres, é voltar a Londres. Estamos certos? Então, até a próxima! :D