..

19 de ago de 2016

Dublin: pubs, jovens e um novo idioma (parte 2)

E aí pessoal, tudo bem?! Lembra que na semana passada ficamos sabendo como foi o intercâmbio da Isabela Portela, em Dublin? Mas teve mais um detalhe que não falamos: além de passar por todas aquelas experiências que contou pra gente, ela ainda viajou com uma de suas melhores amigas, a Maria Isa Souza

E hoje é a vez da Maria Isa (21) contar pra gente o que achou de Dublin. Vamos lá?!


*

(Foto: arquivo pessoal)
O motivou você a realizar um intercâmbio? O foco de interesse foi especificamente a carreira profissional ou não?
Eu sempre quis fazer um intercâmbio, mas sempre foi difícil determinar a hora certa (quando passar no vestibular, após o primeiro semestre de faculdade, enfim...) e por isso acabou ficando em segundo plano, algo para quando eu me formasse, no entanto quando meus pais chegaram para mim e me ofereceram um mês na Europa para cursar inglês eu praticamente gritei "SIM". A carreira é um grande fator, uma parte dos artigos que eu tenho que estudar ou alguns livros são em inglês, além disso apenas com um intercâmbio que você consegue realmente treinar e aperfeiçoar a pronúncia.

Que aspectos foram decisivos para a escolha de Dublin, na Irlanda como destino? 
Minha irmã e minha amiga que me apresentaram ao destino e quando eu vi eu me apaixonei, era uma cidade viva, alegre que prometia um mix de diversão e cultura. 

Ao chegar em Dublin, as expectativas foram correspondidas? Qual foi a primeira impressão da cidade?
Maria Isa e Isabela (Foto: arquivo pessoal)
De jeito nenhum, elas foram superadas de uma forma que eu realmente não esperava, a cidade é linda, as pessoas em sua vasta maioria são encantadoras e divertidas (tanto os irlandeses quanto as pessoas que conheci de outros países). Dublin é o meio termo entre uma cidade agitada e louca (no bom sentido) como Londres e uma pequena cidade como Bruges, nós (eu e Isabela, minha amiga e companheira de quarto) tivemos a oportunidade de visitar os pubs como o famoso Temple Bar (ótimo mas não o único para se conhecer), os parks como o St. Stephen's Green Park e o Phoenix Park, a St. Patricks Chruch, entre outros pontos turísticos. 


Como foi aprender inglês na Irlanda, considerando a diversidade de sotaques existentes lá? Como fez para superar as dificuldades?
Esse na verdade foi meu único receio antes de ir para lá, mas os professores, a maioria pelo menos, tinha um sotaque leve e o meu professor que tinha um pouco mais de sotaque irlandês não prejudicou em nada meu aprendizado, pelo contrário, ele me fez começar a ficar habituada com as diferenças entre as pronúncias, fazendo uma transição mais suave para quando eu fosse ouvir um irlandês "mais carregado".


No ambiente fora da sala de aula, como foi praticar o inglês no dia-a-dia?
Foi a melhor coisa para desenvolver meu inglês, eu travava no meio da frase e demorou uma semana para minha conversa ficar mais fluida, mas ao fazer amizades com pessoas de países diferentes o meu discurso foi melhorando de pouco em pouco, ele se desenvolveu muito mais rápido porque eu fui obrigada (de uma maneira positiva) a falar e tentar ao máximo explicar o que eu queria dizer nas conversas.


E nas horas vagas, o que costumava fazer na cidade? Que lugares visitou e mais gostou?
Tudo possível, eu e Isabela mal dormíamos porque queríamos aproveitar o dia todo, visitamos vários pontos turísticos como eu falei anteriormente (parks e a st. Patricks), os pubs são parte da cultura de lá então visitamos alguns. Além de passear por Dublin, a gente aproveitou os finais de semana para fazer alguns tours, no primeiro a gente fez dois (super recomendo ambos): Giant's Causeway no sábado (Irlanda do Norte) e Cliffs of Moher no domingo, no seguinte passamos em Londres e aquela cidade agitada realmente conquista você e o último foi em Amsterdam, a única coisa que tenho para dizer é que as vistas são lindas e você tem que ir para aproveita cada paisagem, cada momento, porque eu posso garantir que vão ser inesquecíveis.

(Foto: arquivo pessoal)

Depois de realizado o intercâmbio, do que sente saudades quando pensa em Dublin?
Dos meus amigos, sem dúvidas. Os amigos que eu fiz são algo que eu nunca esperava e que eu guardo no meu coração, das experiências que compartilhei com eles todos e é claro a cidade com certeza me deixou querendo voltar um segundo depois de ter pisado no avião.

Maria Isa e amigos (Foto: arquivo pessoal)


Indicaria Dublin para quem deseja fazer intercâmbio? Por quais motivos?
Indicaria em um piscar de olhos, porque é o meio termo entre uma cidade grande e agitada e uma pequena e pacata, graças a isso você pode percorrer a parte central da cidade a pé, o sistema de transporte além de rápido é limpo e eficiente, a maioria dos motoristas são extremamente prestativos e irão ajudar se você perguntar se o ônibus está indo para onde você quer ir ou onde você pega a rota certa, as pessoas são alegres e simplesmente simpáticas, além de ter muitas pessoas da nossa idade então é muito fácil fazer amigos e em Dublin nunca tem monotonia, sempre tem algum evento/algo para fazer.

*

É, depois de duas semanas falando de Dublin, não dá mais pra ter dúvida quanto à cidade. Incrível, né? Cidade recheada de lugares para visitar, pessoas para conhecer e países próximos para viajar nas horas vagas do curso de idiomas. Depois de ler isso tudo, já colocou Dublin como próximo destino?