..

5 de set de 2016

Londres: intercâmbio na cidade que nunca sai de moda


Todos os anos, 600 mil estrangeiros escolhem Londres como destino de intercâmbio para estudar e aprender inglês, segundo o site London Connexion. E, dentre esse número, o acadêmico de Direito Bruno Fortes (19) foi um desses estrangeiros.

Ele ainda está em Londres para completar um intercâmbio de 06 meses na cidade inglesa, aperfeiçoando no novo idioma e conversou um pouco com a gente. E, quer saber? Mesmo sendo uma das cidades mais famosas do mundo, nada se compara com a experiência de conhecê-la, mesmo que pela segunda vez. Olha só o que ele contou pra gente!
Bruno e a Tower Bridge ao fundo (Foto: arquivo pessoal)
Que aspectos da cidade inglesa foram decisivos para a escolha Londres?
Eu escolhi Londres porque já conhecia a cidade. Durante a semana e nos finais de semanas têm muitas opções para o lazer. Bons restaurantes, clubs, pubs, parques, museus, sem falar das principais atrações turísticas (London Eye, Big Ben). Isso tudo aliado ao fato de Londres estar perto de vários países da Europa e ter um transporte público de primeiro mundo e fácil de ser utilizado.

E ao chegar lá, a cidade correspondeu às suas expectativas? Como?
Sim, já tinha noção de como funcionava a cidade, e do que estava esperando por mim. Tinha passado apenas 1 semana com minha família em Londres em 2013. Isso ajudou a quebrar um pouco da minha ansiedade antes de vir... e tornou minha adaptação mais fácil.

No início do intercâmbio, teve alguma dificuldade de adaptação, seja ao lugar, ao cotidiano ou às pessoas? Como lidou com isso?
Bruno visita Atomium, em Bruxelas
(Foto: arquivo pessoal)
No início do intercâmbio tudo é novo e as primeiras semanas são muito difíceis e parecem que não vão ter fim. Nesse período começa a adaptação a um novo estilo de vida. Se adaptar ao novo fuso horário, acordar mais cedo pra caminhar até a estação de metrô, pegar o trem/metrô lotado da manhã, caminhar até a escola, clima, lidar com uma nova língua, novos tipos de comida...! Bate saudade de casa, da família, dos amigos, da vida que costumava levar. Nessas horas a melhor solução é pensar que é uma experiência única que vai trazer bons resultados no futuro e uma experiência que muitas pessoas desejam ter e não tem oportunidade. Procurar se distrair é sempre uma boa opção, ver séries, explorar os pontos turísticos da cidade, marcar viagens nos finais de semanas para outros lugares, tentar esquecer um pouco o Brasil.

Bruno e a London Eye ao fundo
(Foto: arquivo pessoal)
Nas horas vagas, o que fazia para conhecer a cidade? O que mais gostou em Londres?
No primeiro mês, costumava ir com amigos da escola ou até mesmo sozinho para os pontos turísticos da cidade, que são muitos. Procurava informações na internet e sempre que surgia alguma dúvida, me informava na escola. Eles estão preparados pra isso e sempre fornecem programas, desde uma ida a uma cidade ou apenas um passeio da escola até um pub. O que eu mais gostei de Londres foi a mobilidade. Os "undergrounds" (metrôs) estão espalhados por toda a cidade e perto dos melhores lugares. Em relação a um ponto turístico, gosto muito de ir a Westminster, onde costumo dar uma caminhada pelo Big Ben, London Eye, e há várias opções de lazer. Restaurantes, pub, e nos fins de semana têm vários "shows" nas ruas.
Bruno na Tower Bridge
(Foto: arquivo pessoal)

Como se sente quando pensa que está vivendo em uma das cidades mais desenvolvidas do mundo? 
Me sinto totalmente grato e felizardo pela a oportunidade que meus pais me proporcionaram.

Que experiências marcaram seu intercâmbio?
Das várias coisas que marcaram meu intercâmbio, as viagens para outras cidades nos finais de semana, sem dúvidas, são as mais importantes.

É, amigos, competir com Londres é bem difícil! Organização, desenvolvimento, transporte público eficiente, vida cultural e, sem falar, na beleza da cidade: é isso e muito mais que fazem da terra da Rainha um dos lugares mais procurados por viajantes, estudantes e aventureiros. 

Que tal embarcar pra Londres na sua próxima empreitada?!