..

28 de out de 2016

Califórnia: seu sonho de intercâmbio a um passo do paraíso

Viver a vida sobre as ondas ou ser artista de cinema? Tudo isso dá para fazer na Califórnia. Mas, além do que Lulu Santos cantou, também é possível fazer muito mais coisas no famoso estado americano. Inclusive um intercâmbio em inglês. Já pensou?!

Assim como Canadá ou Austrália, a Califórnia é um dos lugares mais procurados em todo o mundo para intercâmbio. E, vamos combinar, é também um paraíso, né?! E os motivos são os melhores: é o estado mais rico dos Estados Unidos, exemplar em organização e possui um visual único de cidades litorâneas.


Califórnia (Foto: reprodução/Google)


Desse jeito, fica fácil se encantar com a Califórnia. Das vinte maiores cidades dos Estados Unidos, quatro estão por lá. Com nome de santo ou de anjo, elas são as famosas Los Angeles, São José, San Diego e San Francisco. Sem falar na capital, Sacramento. Os nomes no idioma espanhol são fruto da influência dos colonizadores espanhóis.

E sobre as praias, as mais famosas são as de Laguna Beach, Santa Monica e Santa Barbara. Elas são ótimas para a prática do surf, para assistir a um belo pôr do sol ou para fazer uma caminhada pelo cais. Ah, e sabe aqueles parques perto da praia, com roda gigante, que a gente vê nos filmes?! Também tem por lá.


Praias da Califórnia (Foto: reprodução/Google)


Mas se você não gosta muito de praia, a Califórnia te oferece outras opções de lazer.

Depois das aulas, quando tiver um tempo livre, vai ser maravilhoso conhecer o imenso Parque Nacional Yosemite, que fica nos condados de Mariposa e Tuolumne e praticar um pouco do inglês. A gente só não garante que você vai conhecer todo o parque em apenas um passeio.


Parque Nacional Yosemite (Foto: reprodução/Google)


Outra dica é a Ponte Golden Gate, cartão postal de San Francisco, que é acompanhada de um parque que leva o mesmo nome. Visite também o parque marinho SeaWorld e o Museu de Arte Contemporânea em San Diego, que é a cidade californiana mais procurada para cursos de inglês. Em Los Angeles, não pode faltar uma foto com o letreiro de Hollywood ao fundo e um passeio pela calçada da fama.


(Fotos: reprodução/Google)












Já deu para perceber que tudo na Califórnia é lindo, né? Praias, parques, cidades e muito mais. Fazer um intercâmbio por lá, sem dúvidas, vai ser uma das melhores coisas que você vai fazer na sua vida. Até porque, como Lulu Santos cantou, “na Califórnia é diferente, irmão. É muito mais do que um sonho”! 

10 de out de 2016

A viagem perfeita: Florença, intercâmbio e arquitetura

Acordar em um belo dia e fazer uma viagem para Florença não é nada ruim, não é?! Afinal, passar algumas semanas na região da Toscana só faz bem. E, para essa viagem ficar ainda melhor, adicione ao roteiro esses três itens: arte, cultura e arquitetura.

Para você ter uma ideia, algumas dos principais monumentos de Florença datam do século XIII e são capazes de reunir exuberância e riqueza de detalhes em um só lugar. Um exemplo é a Catedral de Santa Maria del Fiore e a Piazza del Duomo, a praça onde a catedral se localiza. Também dá para conhecer Museo Galileo ou o Museu Galleria degli Uffizi (Galeria dos Ofícios), que é o mais famoso da cidade. E não pode faltar a ida à Ponte Vecchio, que promete um passeio simples, mas surpreendente em uma noite iluminada.

Maria Clara visita Catedral de Milão
(Foto: arquivo pessoal)
Essas características foram decisivas para que a estudante de Arquitetura e Urbanismo Maria Clara Alencar escolhesse Florença como destino de viagem. E, muito mais que uma viagem a passeio, ela embarcou para a Itália à procura de mais conhecimento. Lá, realizou um curso de Design de Interiores na Accademia Riacci, com duração de 04 semanas. Além deste curso, a Accademia também oferece os cursos de fabricação de joias, Design de Moda, Design Gráfico, entre outros. Olha só o que ela contou para a gente sobre essa super experiência!

Como surgiu o interesse em realizar um curso profissionalizante em outro país?
Eu sempre gostei de história, belas artes e tudo que gira ao redor destas duas disciplinas e partir disso, nasceu o sonho de fazer um intercâmbio na Europa. Desde que entrei na faculdade de Arquitetura já planejava fazer um curso para aperfeiçoamento de tudo que iria aprender na sala de aula e mais ainda, queria conhecer de perto as famosas obras de arte e monumentos arquitetônicos que eu iria ver apenas através de fotos ao longo do curso.

Que aspectos de Florença foram decisivos para a escolha da cidade?
Florença é considerada o berço do Renascimento, uma das capitais mais importantes do mundo por causa de sua beleza e imponentes monumentos, ou seja, para os amantes da arte a cidade é ponto obrigatório. Além disso está localizada na Itália, país referência em história, arte, arquitetura e design. Assim, a junção do amor pela arquitetura e design e a admiração pelas belas artes resultou na decisão de morar em Florença. Ao andar pela cidade eu tinha a sensação de estar vivendo anos atrás, era como se eu estivesse viajado para o passado através de uma máquina do tempo. Tudo o que eu havia estudado em história da arquitetura estava ali na minha frente, as lindas catedrais, os monumentos, as obras dos artistas renascentistas.... Diante desse aprendizado cultural feito na prática que a cidade me proporcionou, tive certeza de que a escolha foi certa.

Durante o curso, foi possível absorver um pouco do idioma local, mesmo que esse não tenha sido o foco principal da viagem?
Acredito que por ser um idioma tão próximo do português e espanhol, entender e aprender italiano não foi difícil! Em um mês de vivência em Florença, consegui absorver bastante do idioma. Uma das maiores descobertas para mim foi a palavra "ciao", pronuncia-se "tchau" e diferente do Brasil, os italianos usam para dar "oi" e "tchau" também. Foi difícil de acostumar!


Maria Clara conhece o Coliseu, em Roma (Foto: arquivo pessoal)
 Você teve dificuldades no início, no período de adaptação em uma nova cidade e com uma rotina diferente? O que fez para superá-los?
Todo início é complicado e para mim não foi diferente. O fato de estar em um país que não é o seu, requer um tempo de adaptação, pois os costumes e hábitos são totalmente diferentes. Quando cheguei não sabia aonde era a parada de ônibus e muito menos qual deles pegar, não entendia as informações das placas e tampouco sabia andar pela cidade, tudo era bastante confuso. Me perdi várias vezes! Porém, graças as pessoas que pedia informação nas ruas, aos poucos fui me encontrando. Sem falar no fuso horário que foi outro grande obstáculo que tive de superar. Passadas duas semanas de adaptação tudo se tornou muito fácil e prático, a saudade de casa que antes parecia incontrolável passou ser administrada muito bem!

Como era o seu cotidiano na cidade italiana? O que mais gostou dele?
No dia-a-dia eu acordava cedo para ir à escola e sempre que acabava a aula o melhor programa era ficar passeando pelo centro vendo as lojas e fazendo compras. Outro super programa era ficar sentada nos banquinhos da Santa Maria Novella contemplando a sua beleza e apreciando um delicioso gelato. Confesso que a melhor parte era o gelato! Difícil eu escolher o que mais gostei, pois tudo o que fiz ali foi especial e jamais esquecerei. Foram dias incríveis e ter ao lado minha melhor amiga vivenciando tudo aquilo comigo foi inesquecível!

E quando tinha tempo livre para conhecer a cidade, o que mais gostou de visitar? 
Florença é uma cidade apaixonante, me tornei uma admiradora incondicional da capital Toscana, confesso! Um momento marcante para mim foi a visita ao interior da basílica de Santa Maria Novella. Em formato de cruz latina, com belíssimas janelas de vitrais coloridos e cercado por colunas coríntias inspiradas na era grega e romana clássica, seu espaço interno é um deslumbre só. Ali pude me dar conta do quanto estava sendo privilegiada por estar numa cidade tão importante que é Florença.

Pelas ruas de Florença (Foto: arquivo pessoal)
Com a realização do curso, o que já percebe de crescimento pessoal e profissional?
Eu tive a honra de estudar na academia Riaci e ter o professor Bicci que é designer chefe da loja Salvatore Ferragamo e referência do design na Itália. Suas orientações e dicas foram indispensáveis para abrir minha mente. Com ele descobri que não há limites para usar a criatividade quando se trata de design. E o mais importante é o profissional procurar aperfeiçoar seus desenhos fazendo-os várias vezes para no fim chegar a uma melhor forma. Por meio das lições e ideias aprendidas no curso, voltei mais apaixonada ainda pela minha profissão e tudo o que a envolve, com certeza é um crescimento tanto pessoal quanto profissional.

O que destaca como principais aprendizados de sua experiência de intercâmbio?
Para mim, os principais aprendizados do intercâmbio foram:
- As aulas do professor Bicci, vou usar tudo o que ele me ensinou na minha profissão como arquiteta.
- Nas viagens que fiz para outras cidades pude aprender mais da história da Itália.
- Aprendi a lidar com a saudade de casa que era um ponto que me atrapalhava bastante no começo, mas depois vi que estar ali era um privilégio para poucos e assim passei a aproveitar melhor meus dias.
- Por fim, o maior aprendizado foi saber que sou capaz de caminhar sozinha na vida sem precisar que meus pais sempre interfiram com ajuda. Saber que posso ser independente foi um grande passo na minha vida.

***

Se a gente já tem muita vontade de viajar, imagina só agora, depois de ler esse super depoimento, né?! Então, que tal seguir o exemplo da Maria Clara e unir o que você gosta com um período em outro país? Com certeza, essa é a receita de uma viagem perfeita! E ainda com crescimento pessoal e profissional de uma vez só. Vamos?!

3 de out de 2016

Intercâmbio em Paris: realizando um sonho em francês


Paris! Como descrever uma das cidades mais lindas em todo o mundo? “Charmosa”, “elegante” e “contemporânea” são boas palavras, mas não dá para resumir a capital francesa apenas a isso. Monumentos históricos, arquitetura impecável, museus mundialmente consagrados e muita arte e cultura podem ser encontrados por lá.
Joyce visita basílica do Sagrado Coração
(
Sacré Cœur) (Foto: Arquivo pessoal)

E hoje, quem vai apresentar essa cidade maravilhosa para vocês hoje é a nossa intercambista Joyce Veloso, a funcionária pública de 34 anos que não perdeu tempo e embarcou para Paris, para viver o sonho francês em um intercâmbio de 03 semanas pela escola Paris Langues. Ela contou para a gente como foi essa experiência incrível e inesquecível.

(Dica: preste bastante atenção nos detalhes que ela contou. Talvez, esse pode ser um dos melhores depoimentos de viagem que você já leu!)

Por quais motivos decidiu fazer um intercâmbio?
Viajar para o “velho mundo” sempre foi um sonho para mim. A Europa era minha primeira opção quando eu pensava em sair do país. A ideia do intercâmbio surgiu depois de dois planos frustrados de viajar com amigos. De alguma forma eu sentia que essa viagem não poderia mais ser adiada e que eu não poderia desistir, por motivo algum. Foi então que uma amiga muito próxima me aconselhou: “Viaje sozinha! Faça um mini-intercâmbio”. E então eu comecei a amadurecer a ideia, que há algum tempo atrás me parecia improvável. Quando decidi finalmente me aventurar, procurei a Embarque Turismo, porque mesmo viajando sozinha, eu teria toda a assistência de uma empresa sólida, confiável, que me desse suporte aqui no Brasil para qualquer eventualidade.

O muro dos “Eu te amo”  (Le mur des “Je
t’aime”) em Paris (Foto: Arquivo Pessoal)
Que aspectos de Paris foram fundamentais para a escolha da cidade francesa como destino de intercâmbio?
A preferência por Paris foi um tanto quanto óbvia. A cidade é um dos destinos mais procurados pelos turistas no mundo inteiro e dispensa apresentações. Lá eu tive a oportunidade de aperfeiçoar o idioma (já que faço curso de francês aqui no Brasil) e ao mesmo tempo pude conhecer os encantos da cidade-luz.

Ao chegar lá, que desafios encontrou inicialmente em relação ao período de adaptação e ao novo idioma? O que fez para lidar com eles?
Para minha surpresa, eu não encontrei nenhuma dificuldade de adaptação! As pessoas foram, de uma maneira geral, bastante educadas e prestativas, contrariando completamente os comentários negativos que ouvi sobre os parisienses e o seu mau humor. Também tive a impressão de que os brasileiros são um povo querido pelo mundo afora, porque sempre que eu mencionava meu país de origem, as pessoas “faziam festa”, e abriam logo um sorriso vibrante.

Acredita que a maturidade da fase adulta ajudou a administrar responsabilidades e desafios?
Certamente, a maturidade da fase adulta me ajudou muito a administrar os desafios e responsabilidades que surgiram, mas o certo é que hoje eu lamento não ter feito essa viagem antes. Foi uma experiência única, que me trouxe muito aprendizado, sobretudo sobre mim mesma. Eu pude conhecer melhor minhas capacidades, mas também minhas deficiências.

Como foi o convívio na nova cidade e o que mais gostou do dia-a-dia de Paris?
(Foto: Arquivo Pessoal)
Na escola, fiz amigos de diferentes cantos do mundo, participei de atividades culturais enriquecedoras, e compartilhei momentos agradáveis ao lado de professores e colegas.

E nas horas vagas, como procura aproveitar uma das cidades mais ricas culturalmente em todo o mundo?
Visitei museus, praças, e os principais bairros da cidade, e posso dizer que as ruazinhas pequenas e charmosas de Paris encantam tanto quanto seus grandes monumentos. Fora da rota turística, tive tempo de conhecer o lado “B” de Paris, observei os costumes locais, o modo como as pessoas se relacionam, como se vestem, seus hábitos alimentares, e como aproveitam as diversas opções que a cidade oferece. Paris é cultura, história, beleza e elegância. Paris é uma explosão de sabores, cores e aromas, espalhados por suas boulangeries, pâtisseries, restaurantes, bistrôs e cafés. A parte gastronômica muito me agradou. É uma sensação deliciosa tomar uma taça de vinho enquanto se espera uma apetitosa e bem apresentada refeição num pequeno bistrô. Uma das coisas que mais me agradou foi observar como os habitantes aproveitam a cidade. As pessoas se deitam livremente nos jardins e praças para curtir o dia, lendo um livro, fazendo piquenique, ou simplesmente vendo o tempo passar. Eu visitei Paris na primeira quinzena de setembro, para mim uma época perfeita, que marca o fim do verão e o começo do outono, onde as temperaturas amenas favorecem a prática de esportes e outras atividades ao ar livre.

Parques, museus e a clássica Torre Eiffel (Foto: Arquivo Pessoal)


Para que público indicaria intercâmbio em Paris?
Eu já planejo uma volta, para poder aproveitar com mais calma cada lugarzinho preferido, e para explorar aqueles que não tive tempo de conhecer. Paris não tem contraindicações, é uma cidade perfeita para qualquer tipo de público... É como li uma vez por aí: “Paris é sempre uma boa ideia”.


Viu como valeu a pena saber como foi a aventura de intercâmbio da Joyce? Até porque, nada melhor que uma viagem para fazer a gente conhecer mais do mundo. Sem falar no autoconhecimento, que sempre vem na bagagem, né?! E você, quando vai decidir embarcar em uma experiência assim? Independente de quando for, você já sabe: pode contar com a gente!