..

10 de out de 2016

A viagem perfeita: Florença, intercâmbio e arquitetura

Acordar em um belo dia e fazer uma viagem para Florença não é nada ruim, não é?! Afinal, passar algumas semanas na região da Toscana só faz bem. E, para essa viagem ficar ainda melhor, adicione ao roteiro esses três itens: arte, cultura e arquitetura.

Para você ter uma ideia, algumas dos principais monumentos de Florença datam do século XIII e são capazes de reunir exuberância e riqueza de detalhes em um só lugar. Um exemplo é a Catedral de Santa Maria del Fiore e a Piazza del Duomo, a praça onde a catedral se localiza. Também dá para conhecer Museo Galileo ou o Museu Galleria degli Uffizi (Galeria dos Ofícios), que é o mais famoso da cidade. E não pode faltar a ida à Ponte Vecchio, que promete um passeio simples, mas surpreendente em uma noite iluminada.

Maria Clara visita Catedral de Milão
(Foto: arquivo pessoal)
Essas características foram decisivas para que a estudante de Arquitetura e Urbanismo Maria Clara Alencar escolhesse Florença como destino de viagem. E, muito mais que uma viagem a passeio, ela embarcou para a Itália à procura de mais conhecimento. Lá, realizou um curso de Design de Interiores na Accademia Riacci, com duração de 04 semanas. Além deste curso, a Accademia também oferece os cursos de fabricação de joias, Design de Moda, Design Gráfico, entre outros. Olha só o que ela contou para a gente sobre essa super experiência!

Como surgiu o interesse em realizar um curso profissionalizante em outro país?
Eu sempre gostei de história, belas artes e tudo que gira ao redor destas duas disciplinas e partir disso, nasceu o sonho de fazer um intercâmbio na Europa. Desde que entrei na faculdade de Arquitetura já planejava fazer um curso para aperfeiçoamento de tudo que iria aprender na sala de aula e mais ainda, queria conhecer de perto as famosas obras de arte e monumentos arquitetônicos que eu iria ver apenas através de fotos ao longo do curso.

Que aspectos de Florença foram decisivos para a escolha da cidade?
Florença é considerada o berço do Renascimento, uma das capitais mais importantes do mundo por causa de sua beleza e imponentes monumentos, ou seja, para os amantes da arte a cidade é ponto obrigatório. Além disso está localizada na Itália, país referência em história, arte, arquitetura e design. Assim, a junção do amor pela arquitetura e design e a admiração pelas belas artes resultou na decisão de morar em Florença. Ao andar pela cidade eu tinha a sensação de estar vivendo anos atrás, era como se eu estivesse viajado para o passado através de uma máquina do tempo. Tudo o que eu havia estudado em história da arquitetura estava ali na minha frente, as lindas catedrais, os monumentos, as obras dos artistas renascentistas.... Diante desse aprendizado cultural feito na prática que a cidade me proporcionou, tive certeza de que a escolha foi certa.

Durante o curso, foi possível absorver um pouco do idioma local, mesmo que esse não tenha sido o foco principal da viagem?
Acredito que por ser um idioma tão próximo do português e espanhol, entender e aprender italiano não foi difícil! Em um mês de vivência em Florença, consegui absorver bastante do idioma. Uma das maiores descobertas para mim foi a palavra "ciao", pronuncia-se "tchau" e diferente do Brasil, os italianos usam para dar "oi" e "tchau" também. Foi difícil de acostumar!


Maria Clara conhece o Coliseu, em Roma (Foto: arquivo pessoal)
 Você teve dificuldades no início, no período de adaptação em uma nova cidade e com uma rotina diferente? O que fez para superá-los?
Todo início é complicado e para mim não foi diferente. O fato de estar em um país que não é o seu, requer um tempo de adaptação, pois os costumes e hábitos são totalmente diferentes. Quando cheguei não sabia aonde era a parada de ônibus e muito menos qual deles pegar, não entendia as informações das placas e tampouco sabia andar pela cidade, tudo era bastante confuso. Me perdi várias vezes! Porém, graças as pessoas que pedia informação nas ruas, aos poucos fui me encontrando. Sem falar no fuso horário que foi outro grande obstáculo que tive de superar. Passadas duas semanas de adaptação tudo se tornou muito fácil e prático, a saudade de casa que antes parecia incontrolável passou ser administrada muito bem!

Como era o seu cotidiano na cidade italiana? O que mais gostou dele?
No dia-a-dia eu acordava cedo para ir à escola e sempre que acabava a aula o melhor programa era ficar passeando pelo centro vendo as lojas e fazendo compras. Outro super programa era ficar sentada nos banquinhos da Santa Maria Novella contemplando a sua beleza e apreciando um delicioso gelato. Confesso que a melhor parte era o gelato! Difícil eu escolher o que mais gostei, pois tudo o que fiz ali foi especial e jamais esquecerei. Foram dias incríveis e ter ao lado minha melhor amiga vivenciando tudo aquilo comigo foi inesquecível!

E quando tinha tempo livre para conhecer a cidade, o que mais gostou de visitar? 
Florença é uma cidade apaixonante, me tornei uma admiradora incondicional da capital Toscana, confesso! Um momento marcante para mim foi a visita ao interior da basílica de Santa Maria Novella. Em formato de cruz latina, com belíssimas janelas de vitrais coloridos e cercado por colunas coríntias inspiradas na era grega e romana clássica, seu espaço interno é um deslumbre só. Ali pude me dar conta do quanto estava sendo privilegiada por estar numa cidade tão importante que é Florença.

Pelas ruas de Florença (Foto: arquivo pessoal)
Com a realização do curso, o que já percebe de crescimento pessoal e profissional?
Eu tive a honra de estudar na academia Riaci e ter o professor Bicci que é designer chefe da loja Salvatore Ferragamo e referência do design na Itália. Suas orientações e dicas foram indispensáveis para abrir minha mente. Com ele descobri que não há limites para usar a criatividade quando se trata de design. E o mais importante é o profissional procurar aperfeiçoar seus desenhos fazendo-os várias vezes para no fim chegar a uma melhor forma. Por meio das lições e ideias aprendidas no curso, voltei mais apaixonada ainda pela minha profissão e tudo o que a envolve, com certeza é um crescimento tanto pessoal quanto profissional.

O que destaca como principais aprendizados de sua experiência de intercâmbio?
Para mim, os principais aprendizados do intercâmbio foram:
- As aulas do professor Bicci, vou usar tudo o que ele me ensinou na minha profissão como arquiteta.
- Nas viagens que fiz para outras cidades pude aprender mais da história da Itália.
- Aprendi a lidar com a saudade de casa que era um ponto que me atrapalhava bastante no começo, mas depois vi que estar ali era um privilégio para poucos e assim passei a aproveitar melhor meus dias.
- Por fim, o maior aprendizado foi saber que sou capaz de caminhar sozinha na vida sem precisar que meus pais sempre interfiram com ajuda. Saber que posso ser independente foi um grande passo na minha vida.

***

Se a gente já tem muita vontade de viajar, imagina só agora, depois de ler esse super depoimento, né?! Então, que tal seguir o exemplo da Maria Clara e unir o que você gosta com um período em outro país? Com certeza, essa é a receita de uma viagem perfeita! E ainda com crescimento pessoal e profissional de uma vez só. Vamos?!