..

23 de mar de 2018

Finlândia: o país mais feliz do mundo está sorrindo para você

Quantas doses você compraria de um Xarope da Felicidade, se, por um acaso, ele existisse? E se você descobrisse qual é o país mais feliz do mundo, iria para lá? Se a sua resposta for um "siiiiiim", então você já pode preparar as malas e o passaporte: hoje você vai descobrir! 

O Relatório Mundial da Felicidade 2018 (WHR), publicado pela Organização das Nações Unidas (ONU) neste mês de março, fez um levantamento considerando seis elementos chave referentes ao bem-estar para encontrar qual a nação mais sorridente do universo. São eles: renda, expectativa de vida saudável, apoio social, liberdade, ausência de corrupção e generosidade.

Entre os dez primeiros colocados, os seis primeiros países são, todos, do Norte da Europa. E o país vencedor, invicto pelo segundo ano consecutivo, é a Finlândia, vizinho da Rússia e da Suécia!




Conhecida pelas paisagens de frio, a Finlândia é um destino super indicado para a prática de esportes de inverno, como a patinação no gelo e o hockey. Quanto mais ao Norte do país, mais baixa a temperatura. Mas se estiver por lá e quiser fugir do frio, uma dica são as saunas que chegam a 80ºC! E por falar em aspectos naturais, quem nunca viu uma foto de auroras boreais pelos céus da Finlândia? Um espetáculo à parte!




E sobre outros índices, o país também é líder quanto à educação. No ensino superior, você pode escolher entre 20 universidades mais centradas no ensino acadêmico e pesquisa ou 28 centros politécnicos, mais direcionados para o mercado de trabalho. 

Porto em Helsinque, capital da Finlândia




















Universidade da capital Helsinque, por exemplo, está entre as 100 melhores do mundo. Lá, ricos e pobres têm iguais oportunidades de estudo gratuito e os estrangeiros também podem desfrutar dessa gratuidade! De acordo com o governo finlandês, estudantes de mais de 40 nacionalidades estão distribuídos pelo território. 



Quando for planejar uma ida ao país mais feliz do mundo, se quiser fugir das temperaturas muito frias, marque na sua agenda os meses entre maio e setembro correspondente ao período do final da primavera e verão. As temperaturas podem chegar a até 32ºC. Prepare-se também pra viver um dia sem noite, já que em junho e julho o sol não se põe, principalmente na região Norte do país. Incrível né?! 


Mas se quiser adicionar um pouco mais de aventura à viagem, embarque no período após setembro até março, quando as temperaturas caem mais e a probabilidade de ver o espetáculo das auroras boreais é maior.


Safári de rena em uma floresta de inverno


Seja no verão ou no inverso, para estudar ou para conhecer a turismo, fica a dica de se aventurar pelas terras mais felizes do mundo, a alegre Finlândia!



_
Descubra mais informações sobre a Finlândia aqui.

13 de mar de 2018

Amboise: intercâmbio à francesa na melhor idade

Imagina só: planejar uma viagem pro exterior + se aventurar em aprender um novo idioma + conhecer gente do mundo todo. Quem você acha que é o sujeito dessas frases? Talvez você imaginou uma adolescente que embarca em um High School ou um jovem universitário que investe em um intercâmbio. Mas... e se a gente te disser que pode ser alguém que já passou dos 50 anos?!

Maria Cecília na janela da Casa Clos Lucé
Cada vez mais procurado no Brasil, o programa de intercâmbio da Melhor Idade, destinado a adultos com mais de 50 anos e a idosos tem proporcionado a essas pessoas experiências inéditas, novos conhecimentos e a certeza de que ainda existe muita vida pela frente! Esses são alguns dos presentes que a professora universitária Maria Cecília Mendes ganhou ao viajar em um intercâmbio para a França. Dono de algumas das cidades mais charmosas do mundo, o país foi o escolhido por Maria Cecília para se aprofundar mais ainda no já conhecido idioma francês.


Hoje, a gente vai conhecer um pouquinho da viagem incrível que ela fez para a cidade francesa que, segundo ela, é onde se fala o francês mais puro! Sem titubear, Maria Cecília embarcou em um intercâmbio de duas semanas em Amboise, a comuna francesa que herdou castelos reais e uma cultura riquíssima e que também já foi morada de Leonardo da Vinci. Vamos lá?!




Que aspectos influenciaram a decisão de realizar um intercâmbio nessa fase da sua vida – nem antes, nem depois? E por que escolheu esta cidade/país como destino de intercâmbio?

Esquecida do que aprendera há muitos anos, decidi recordar o que sabia e atualizar-me na prática da língua francesa. Escolhi AMBOISE, pequena cidade francesa, por ser da região onde se fala o Francês mais puro. Paris, La Rochelle ou Lausanne (Suíça) têm muitas atrações outras que poderiam me afastar do foco: estudar a língua. Além disso, tem a paixão que sempre tive pela França, sua literatura, sua cultura, sua história.

Almoço de despedida do curso, com parte dos colegas:
Cédine, Giulia, Isabel, Adriana, Mariana e Igor.
Como foi o convívio em sala de aula, durante o curso?

Muito bom, com colegas bem jovens, porque tenho mais de Setenta anos de idade com cabeça de 25. Todos foram comigo, gentis e companheiros.

Conheceu pessoas de outras nacionalidades? Se sim, quais?

Na turma havia Joyce, uma jovem senhora chinesa e Cédine, garoto suíço de 16 anos. O restante, brasileiros.

E nas horas livres, o que costumava fazer?

A "famille d'accueil" (família anfitriã): Jacques e
Isabelle Lamoureux e os filhos Augustin, Isaure e Célute
Lia, conversava com as pessoas da família que me acolheu (cultos e cordiais) e saía para conhecer alguns castelos e cidades próximas, no Vale do rio Loire.

Que características da cidade achou mais marcantes?

A arquitetura, com casas de estilo bem diferentes das nossas, inclusive os trogloditas (encavadas nas rochas) e a presença de dois castelos: um dos reis da França e outro onde morou Leonardo da Vinci, o gênio, que esteve lá por mais de dois anos e lá morreu. Sua casa, chamada de “Clos Lucé”, é hoje um museu.


Pecold / Shutterstock.com





Como avalia a sua evolução no aprendizado do idioma, ao concluir o intercâmbio?


Cecília Mendes recebendo o certificado com
a Corrdenadorada Eurocentres Samia
Rebihi e os professores Arnaud e Axelle
Creio que aprendi bastante; poderia ter sido melhor. Arrependi-me de não haver programado mais tempo para o curso. No certificado que recebi, com avaliação dos docentes, tive boa avaliação em compreensão e expressão escrita e oral, interação, compreensão midiática e conhecimentos linguísticos. Os professores são muito competentes e estimulam bastante os alunos. A Escola é moderna e bem equipada.

Quais foram as maiores lições que absorveu com esta experiência?

Fora o aprendizado da língua, descobri, muito feliz, que a pessoa idosa pode viajar só e, se quiser, aprender coisas novas. Verifiquei também que há gente boa em toda parte que ajuda o idoso a por e tirar a mala (no trem), descer e subir escadas com bagagem, etc.
Cecília Mendes e as colegas do curso - Isabel e Mariana

Como a Embarque lhe ajudou em relação à preparação para sua viagem?

A Embarque se mostrou eficiente e ágil. Tudo ocorreu de acordo com o contrato estabelecido com a empresa: passagens aéreas, curso e hospedagem. Atendimento gentil e com presteza.


* * *

Viu?! Sempre é tempo de explorar o mundo! Depois de ler esse texto, ficou bem mais fácil se inspirar na viagem de Maria Cecília e programar a próxima aventura! Então, viaje, se desafie, adquira novos conhecimento e não tenha medo de ir além! E quando precisar, estaremos seeempre aqui. Embarque no mundo!

2 de mar de 2018

Vancouver: intercâmbio na cidade dos sonhos


Se você fizer uma pesquisa rápida sobre destinos de intercâmbio, vai ver que o Canadá é um dos países mais indicados pra quem quer fazer um bom curso de idiomas no exterior! Além de altos índices de qualidade de vida e desenvolvimento, já conquistou também o título de “país mais educado do mundo”, segundo pesquisa da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico.
  


Vancouver, uma das cidades canadenses, acompanhou os títulos do país e conquistou a medalha por ser a melhor cidade do mundo para se viver - há anos! Além disso, é notadamente multicultural e passando pela cidade dá pra perceber ícones da herança nativa e símbolos da modernidade. A natureza então, nem se fala: montanhas, praias, trilhas e bosques estão disponíveis para serem conhecidos e desbravados.



Quem se aventurou pela incrível Vancouver foi o Vinícius Melo (16), durante um intercâmbio em inglês de 25 semanas pelas terras canadenses. E, claro, ele voltou com a bagagem cheia de novas experiências. Olha só o que ele contou pra gente!

Que aspectos influenciaram a decisão de realizar um intercâmbio nessa fase da sua vida – nem antes, nem depois?
Decidi fazer o intercambio para adquirir conhecimento, saber mais sobre a língua e a cultura.

E por que escolheu esta cidade/país como destino de intercâmbio?
Escolhi Vancouver por que acho uma cidade muito bonita e tranquila.

Como foi o convívio em sala de aula, durante o curso?
Muito tranquilo, desde o dia que cheguei todos me receberam muito bem.

Conheceu pessoas de outras nacionalidades? Se sim, quais? Como isso contribuiu para enriquecer sua experiência?
Sim, várias pessoas, isso me ajuda a praticar a língua e conhecer a cultura de outros países.

E nas horas livres, o que costumava fazer?
Costumo conhecer pontos turísticos, como English Bay, Lynn Valley e a Grouse Mountains.



Que características da cidade achou mais marcantes?
A beleza da cidade e a educação do povo.


É, nada melhor do que adicionar um pouco de aventura na vida! Se viajar é bom, viajar e fazer um intercâmbio a gente sabe que é uma experiência única. Agora imagina só embarcar em um destino surpreendente como esse? Siga os passos do Vinícius, embarque no mundo com a gente!