..

13 de mar de 2018

Amboise: intercâmbio à francesa na melhor idade

Imagina só: planejar uma viagem pro exterior + se aventurar em aprender um novo idioma + conhecer gente do mundo todo. Quem você acha que é o sujeito dessas frases? Talvez você imaginou uma adolescente que embarca em um High School ou um jovem universitário que investe em um intercâmbio. Mas... e se a gente te disser que pode ser alguém que já passou dos 50 anos?!

Maria Cecília na janela da Casa Clos Lucé
Cada vez mais procurado no Brasil, o programa de intercâmbio da Melhor Idade, destinado a adultos com mais de 50 anos e a idosos tem proporcionado a essas pessoas experiências inéditas, novos conhecimentos e a certeza de que ainda existe muita vida pela frente! Esses são alguns dos presentes que a professora universitária Maria Cecília Mendes ganhou ao viajar em um intercâmbio para a França. Dono de algumas das cidades mais charmosas do mundo, o país foi o escolhido por Maria Cecília para se aprofundar mais ainda no já conhecido idioma francês.


Hoje, a gente vai conhecer um pouquinho da viagem incrível que ela fez para a cidade francesa que, segundo ela, é onde se fala o francês mais puro! Sem titubear, Maria Cecília embarcou em um intercâmbio de duas semanas em Amboise, a comuna francesa que herdou castelos reais e uma cultura riquíssima e que também já foi morada de Leonardo da Vinci. Vamos lá?!




Que aspectos influenciaram a decisão de realizar um intercâmbio nessa fase da sua vida – nem antes, nem depois? E por que escolheu esta cidade/país como destino de intercâmbio?

Esquecida do que aprendera há muitos anos, decidi recordar o que sabia e atualizar-me na prática da língua francesa. Escolhi AMBOISE, pequena cidade francesa, por ser da região onde se fala o Francês mais puro. Paris, La Rochelle ou Lausanne (Suíça) têm muitas atrações outras que poderiam me afastar do foco: estudar a língua. Além disso, tem a paixão que sempre tive pela França, sua literatura, sua cultura, sua história.

Almoço de despedida do curso, com parte dos colegas:
Cédine, Giulia, Isabel, Adriana, Mariana e Igor.
Como foi o convívio em sala de aula, durante o curso?

Muito bom, com colegas bem jovens, porque tenho mais de Setenta anos de idade com cabeça de 25. Todos foram comigo, gentis e companheiros.

Conheceu pessoas de outras nacionalidades? Se sim, quais?

Na turma havia Joyce, uma jovem senhora chinesa e Cédine, garoto suíço de 16 anos. O restante, brasileiros.

E nas horas livres, o que costumava fazer?

A "famille d'accueil" (família anfitriã): Jacques e
Isabelle Lamoureux e os filhos Augustin, Isaure e Célute
Lia, conversava com as pessoas da família que me acolheu (cultos e cordiais) e saía para conhecer alguns castelos e cidades próximas, no Vale do rio Loire.

Que características da cidade achou mais marcantes?

A arquitetura, com casas de estilo bem diferentes das nossas, inclusive os trogloditas (encavadas nas rochas) e a presença de dois castelos: um dos reis da França e outro onde morou Leonardo da Vinci, o gênio, que esteve lá por mais de dois anos e lá morreu. Sua casa, chamada de “Clos Lucé”, é hoje um museu.


Pecold / Shutterstock.com





Como avalia a sua evolução no aprendizado do idioma, ao concluir o intercâmbio?


Cecília Mendes recebendo o certificado com
a Corrdenadorada Eurocentres Samia
Rebihi e os professores Arnaud e Axelle
Creio que aprendi bastante; poderia ter sido melhor. Arrependi-me de não haver programado mais tempo para o curso. No certificado que recebi, com avaliação dos docentes, tive boa avaliação em compreensão e expressão escrita e oral, interação, compreensão midiática e conhecimentos linguísticos. Os professores são muito competentes e estimulam bastante os alunos. A Escola é moderna e bem equipada.

Quais foram as maiores lições que absorveu com esta experiência?

Fora o aprendizado da língua, descobri, muito feliz, que a pessoa idosa pode viajar só e, se quiser, aprender coisas novas. Verifiquei também que há gente boa em toda parte que ajuda o idoso a por e tirar a mala (no trem), descer e subir escadas com bagagem, etc.
Cecília Mendes e as colegas do curso - Isabel e Mariana

Como a Embarque lhe ajudou em relação à preparação para sua viagem?

A Embarque se mostrou eficiente e ágil. Tudo ocorreu de acordo com o contrato estabelecido com a empresa: passagens aéreas, curso e hospedagem. Atendimento gentil e com presteza.


* * *

Viu?! Sempre é tempo de explorar o mundo! Depois de ler esse texto, ficou bem mais fácil se inspirar na viagem de Maria Cecília e programar a próxima aventura! Então, viaje, se desafie, adquira novos conhecimento e não tenha medo de ir além! E quando precisar, estaremos seeempre aqui. Embarque no mundo!