..

3 de out de 2016

Intercâmbio em Paris: realizando um sonho em francês


Paris! Como descrever uma das cidades mais lindas em todo o mundo? “Charmosa”, “elegante” e “contemporânea” são boas palavras, mas não dá para resumir a capital francesa apenas a isso. Monumentos históricos, arquitetura impecável, museus mundialmente consagrados e muita arte e cultura podem ser encontrados por lá.
Joyce visita basílica do Sagrado Coração
(
Sacré Cœur) (Foto: Arquivo pessoal)

E hoje, quem vai apresentar essa cidade maravilhosa para vocês hoje é a nossa intercambista Joyce Veloso, a funcionária pública de 34 anos que não perdeu tempo e embarcou para Paris, para viver o sonho francês em um intercâmbio de 03 semanas pela escola Paris Langues. Ela contou para a gente como foi essa experiência incrível e inesquecível.

(Dica: preste bastante atenção nos detalhes que ela contou. Talvez, esse pode ser um dos melhores depoimentos de viagem que você já leu!)

Por quais motivos decidiu fazer um intercâmbio?
Viajar para o “velho mundo” sempre foi um sonho para mim. A Europa era minha primeira opção quando eu pensava em sair do país. A ideia do intercâmbio surgiu depois de dois planos frustrados de viajar com amigos. De alguma forma eu sentia que essa viagem não poderia mais ser adiada e que eu não poderia desistir, por motivo algum. Foi então que uma amiga muito próxima me aconselhou: “Viaje sozinha! Faça um mini-intercâmbio”. E então eu comecei a amadurecer a ideia, que há algum tempo atrás me parecia improvável. Quando decidi finalmente me aventurar, procurei a Embarque Turismo, porque mesmo viajando sozinha, eu teria toda a assistência de uma empresa sólida, confiável, que me desse suporte aqui no Brasil para qualquer eventualidade.

O muro dos “Eu te amo”  (Le mur des “Je
t’aime”) em Paris (Foto: Arquivo Pessoal)
Que aspectos de Paris foram fundamentais para a escolha da cidade francesa como destino de intercâmbio?
A preferência por Paris foi um tanto quanto óbvia. A cidade é um dos destinos mais procurados pelos turistas no mundo inteiro e dispensa apresentações. Lá eu tive a oportunidade de aperfeiçoar o idioma (já que faço curso de francês aqui no Brasil) e ao mesmo tempo pude conhecer os encantos da cidade-luz.

Ao chegar lá, que desafios encontrou inicialmente em relação ao período de adaptação e ao novo idioma? O que fez para lidar com eles?
Para minha surpresa, eu não encontrei nenhuma dificuldade de adaptação! As pessoas foram, de uma maneira geral, bastante educadas e prestativas, contrariando completamente os comentários negativos que ouvi sobre os parisienses e o seu mau humor. Também tive a impressão de que os brasileiros são um povo querido pelo mundo afora, porque sempre que eu mencionava meu país de origem, as pessoas “faziam festa”, e abriam logo um sorriso vibrante.

Acredita que a maturidade da fase adulta ajudou a administrar responsabilidades e desafios?
Certamente, a maturidade da fase adulta me ajudou muito a administrar os desafios e responsabilidades que surgiram, mas o certo é que hoje eu lamento não ter feito essa viagem antes. Foi uma experiência única, que me trouxe muito aprendizado, sobretudo sobre mim mesma. Eu pude conhecer melhor minhas capacidades, mas também minhas deficiências.

Como foi o convívio na nova cidade e o que mais gostou do dia-a-dia de Paris?
(Foto: Arquivo Pessoal)
Na escola, fiz amigos de diferentes cantos do mundo, participei de atividades culturais enriquecedoras, e compartilhei momentos agradáveis ao lado de professores e colegas.

E nas horas vagas, como procura aproveitar uma das cidades mais ricas culturalmente em todo o mundo?
Visitei museus, praças, e os principais bairros da cidade, e posso dizer que as ruazinhas pequenas e charmosas de Paris encantam tanto quanto seus grandes monumentos. Fora da rota turística, tive tempo de conhecer o lado “B” de Paris, observei os costumes locais, o modo como as pessoas se relacionam, como se vestem, seus hábitos alimentares, e como aproveitam as diversas opções que a cidade oferece. Paris é cultura, história, beleza e elegância. Paris é uma explosão de sabores, cores e aromas, espalhados por suas boulangeries, pâtisseries, restaurantes, bistrôs e cafés. A parte gastronômica muito me agradou. É uma sensação deliciosa tomar uma taça de vinho enquanto se espera uma apetitosa e bem apresentada refeição num pequeno bistrô. Uma das coisas que mais me agradou foi observar como os habitantes aproveitam a cidade. As pessoas se deitam livremente nos jardins e praças para curtir o dia, lendo um livro, fazendo piquenique, ou simplesmente vendo o tempo passar. Eu visitei Paris na primeira quinzena de setembro, para mim uma época perfeita, que marca o fim do verão e o começo do outono, onde as temperaturas amenas favorecem a prática de esportes e outras atividades ao ar livre.

Parques, museus e a clássica Torre Eiffel (Foto: Arquivo Pessoal)


Para que público indicaria intercâmbio em Paris?
Eu já planejo uma volta, para poder aproveitar com mais calma cada lugarzinho preferido, e para explorar aqueles que não tive tempo de conhecer. Paris não tem contraindicações, é uma cidade perfeita para qualquer tipo de público... É como li uma vez por aí: “Paris é sempre uma boa ideia”.


Viu como valeu a pena saber como foi a aventura de intercâmbio da Joyce? Até porque, nada melhor que uma viagem para fazer a gente conhecer mais do mundo. Sem falar no autoconhecimento, que sempre vem na bagagem, né?! E você, quando vai decidir embarcar em uma experiência assim? Independente de quando for, você já sabe: pode contar com a gente!