..

22 de jun de 2018

Quatro destinos para fazer um mochilão pela América do Sul





Mochilão na América do Sul é mais barato e pode ser surpreendente. Quando pensamos em fazer um mochilão, já associamos à América do Norte ou Europa.

Por que não pensar num mochilão na América do Sul?

Separamos alguns países com preços convidativos e inesquecíveis para iniciar um Roteiro de mochilão na América do Sul gastando pouco, usando bons hostels e restaurantes econômicos.

Aproveite seu mochilão pela América do Sul e faça um intercâmbio de espanhol!




1  Cusco – Peru

O Peru faz fronteira com o Brasil, seu território abrange os Andes, a Floresta Amazônica e o litoral no Oceano Pacífico.

Cusco é uma cidade seca e considerada a capital arqueológica das Américas. A ascensão e queda do Império Inca com a invasão espanhola. As ruas da cidade são estreitas com catedrais barrocas requintadas de pedra de alvenaria criando uma mistura com o estilo andino espanhol.

A melhor maneira de conhecer Cusco é a pé, os calçadões coloridos para pedestres levam a muitas atrações da cidade. A altitude é de mais de 11.000 pés, explorar o lugar requer muito fôlego, então é possível pegar um táxi. Os ônibus não possuem rota para todos os endereços.
Ela consegue encantar estudiosos de arqueologia, admiradores de monumentos religiosos e interessados por tradições populares.

Abrange um outro público de pessoas conectadas a natureza, colecionadores, artesãos e observadores de aves.

O Que Visitar em Cusco:


Machu Picchu

A cidade perdida dos Incas completou 100 anos de descobrimento em 2011. Os Incas foram um povo conhecido por guardar conhecimentos avançados para a época de matemática, astronomia e acústica.

Está a 2450 metros acima do nível do mar e foi povoada em 1450 a 1540. O parque arqueológico de Machu Picchu está repleto de templos, muros e casas. O sol é bem forte no período da tarde, melhor ir pela manhã e com um guia, mesmo com o mapa que é entregue na recepção, porque o lugar possui muitas curiosidades. Logo no início do passeio o visitante se depara com uma das paisagens mais conhecidas: a zona agrícola.  Em seguida a Praça dos Templos e o Templo Principal com pedras grandiosas e encaixe perfeito. 

Já no final do passeio a montanha Huayna Picchu aonde o turista consegue uma linda vista da cidade se tiver disposição de subir e descer da montanha para ver todos os ângulos. O passeio completo pode durar em torno de 4 a 5 horas, por isso o mochileiro deve levar água e lanche.

Plaza de Armas

Foi o local de fundação da cidade em 1535 e hoje é considerada o coração do centro da cidade. A praça abriga muitos monumentos históricos como a Catedral de Cusco no estilo barroco renascentista do século XVII e o Palácio de Gobierno. 

Em seu entorno há outros pontos turísticos próximos uns aos outros  como a Casa de Aliaga, Palácio Arzobispal e o Museu dos Incas. A praça é um ponto de encontros, comemorações e demonstrações artísticas e sempre está cheio de turista. Roteiro imperdível para um mochilão na América do Sul, porque o turista acaba conhecendo em um só lugar diversos aspectos históricos e culturais do país pagando pouquíssimo ou nada.

Vale Sagrado

É uma região nos arredores de Cusco localizado no rio Urubamba e mistura-se a vales e montanhas. Estão concentrados na região muitos sítios com vestígios arqueológicos de santuários, como:

  • Pisaq é composto por um setor agrícola da região e possui forma de perdiz.
  • Ollantaytambo é uma fortaleza que foi construída pelos espanhóis para proteção do estado Inca e o Vale Sagrado.
  • Chinchero conhecido como terra dos arco-íris, porque estão sempre presentes nesta região.  Localizado no rio Urubamba mistura-se a vales e montanhas.
Com guias o passeio dura um dia inteiro com micro ônibus e com pausas para o almoço.
Existe a possibilidade do mochileiro fazer a viagem por conta própria alugando um carro.


2- Quito – Equador

E o país mais barato para realizar seu mochilão América do Sul depois da Venezuela. Situada a 2800 metros do nível do mar sendo a capital mais perto do sol.

Já na saída do aeroporto o turista encontra uma bela paisagem em um vale com cerca de 35 km de extensão. Possui um centro histórico considerado pela Unesco como o maior e em melhor estado de conservação. Rodeada por vulcões que podem ser visitados. Sua culinária é uma mistura da gastronomia espanhola e andina. 

Ponto de partida usado para as Ilhas Galápagos, este sim bem menos acessível para o mochileiro que quiser economizar. É um país que não recebe tantos turistas brasileiros como deveria, mas quem conhece e coloca em seu Roteiro de Mochilão na América do Sul o país, promete voltar.

O que visitar em Quito:

Teleferico

É o teleférico mais alto do planeta são 4100 metros de altitude. Lá do alto o mochileiro consegue encontrar lojas de artesanato e bares. Torça para que o dia esteja bem claro e conseguirá ver picos nevados e o vulcão Cotopaxi.

Mitad del Mundo.
No retorno ao passeio de teleférico dá para visitar o local onde passa a Linha do Equador, ao norte da cidade.  Ali poderá visitar museus, um planetário e lojas vendendo os produtos da cultura local. Os restaurantes da culinária típica da cidade, uma sopa de milho com batatas e abacate. 

La Mitad del Mundo
La Mitad del Mundo é um monumento construído em 1736. Existe ali os cálculos que demonstram que a linha do equador passa pelo local. No Museu Etnográfico existe os registros históricos da colonização indígena do país.
O monumento e museus abrem todos os dias com taxas pequenas e que variam pouco. O ingresso custa em geral 2.00 USD

Parque Nacional Cotopaxi
É o vulcão ativo mais alto do mundo e pode ser visitado, quando não existe alerta de erupção. Na subida a pé o oxigênio pode faltar na subida perto o cume do vulcão já a 4.810 metros de altura. O total são 5.897 metros de altura até o cume, aos mais atléticos os tours que levam ao topo podem durar até 5 ou 6 dias.

A descida bem mais tranquila, pode ser feita de bicicleta alugadas no local. Os preços podem variar e os preços não saírem exatamente barato para seu mochilão América do Sul, mas economize em outras atividades e não descarte esse belo passeio.

Cartagena – Colômbia
A cidade foi fundada em 1533 a cidade é interiorana com muitos aspectos culturais e belas praias.

Possui muitas opções de lazer e vida noturna intensa com muitos bares e restaurantes gostam de apresentar ao turista a salsa e toda riqueza da música caribenha. Pode ser visitada em qualquer época do ano, lá o tempo é quente em qualquer época do ano, a média é de 27º graus e a sensação térmica sempre mais alta.

Tome cuidado com as altas temperaturas para não incluir involuntariamente em seu Roteiro de Mochilão na América do Sul estadias em hospitais. O pôr do sol é sempre lindo nesta cidade de ruas pequenas e estreitas com cenários românticos.

O que visitar em Cartagena:


Castelo de San Filipe de Barajas

Construído em 1536 e 1657, a fortaleza é considerada a maior construção feita pelos espanhóis. Tinha a função de proteger Cartagena de ataques estrangeiros. Dentro é cheia de quartos, labirintos, corredores e túneis pensado como estratégia para atacar os possíveis inimigos. Os melhores horários são no período da manhã ou no final da tarde onde se aproveita o belo pôr do sol.

Arquipélago de Rosário

São várias ilhas e fica a cerca de uma hora de barco do Centro. O turista pode aproveitar as praias de águas cristalinas com direito a aulas de mergulho e um passeio pelas 27 ilhas do arquipélago de barco. Algumas ilhas possuem estrutura de hotéis, mas outras são inexploradas contendo vilarejos e habitada por pescadores.

4- Montevideo – Uruguai

Montevideo é uma cidade calma onde os turistas que vão ao Uruguai podem passear pela cidade velha. Era a princípio uma cidade de guarnição espanhola. O comércio cresceu no período colonial o que facilitou sua independência. De 1807 a 1830 foi ocupado por forças britânicas, espanholas, argentinas, portuguesas e brasileiras.

O que visitar em Montevideo:




Mercado do Porto

Lugar símbolo de Montevidéu e planejado para atender bem o turista com muitos restaurantes, que servem pratos típicos e boa carne em churrasqueiras à base de lenha e lojas de lembranças. Em baixa temporada em alguns dias e horários o mercado fica fechado. Foi inaugurado a 10 de outubro de 1868 e conserva a aparência de uma estação ferroviária antiga. Suas estruturas de ferro construídas na Inglaterra, em Liverpool e possui um relógio central centenário.

Rambla

São mais de 20 km ao longo da costa de avenidas litorâneas de Montevideo às margens do Rio de la Prata. Ramblas se refere a todas as vias à beira-mar na costa do Uruguai. Cada uma delas possui um nome próprio. O passeio pode ser feito a pé, de carro, ônibus ou bicicleta. Possui prédios antigos junto a construções novas e modernas. E, muitas praias ao longo de todo o percurso.

Parque Rodó

Seu nome é uma homenagem ao escritor uruguaio José Enrique Rodó.
É uma das principais áreas de lazer da cidade com áreas verdes e muitos monumentos, estátuas, fontes e um lago.

Possui dentro dele, muitas áreas de lazer como parque de diversões, castelo, campo de futebol, golfe, anfiteatros e o Casino Municipal.

Acontece nas manhãs de domingo uma feira de artesanato na região central e muitas exposições a céu aberto. O passeio ficará mais interessante de bicicleta, patins ou mesmo a pé.

Ali o mochileiro vai encontrar uma roda de amigos tocando violão, tomando mate e pessoas caminhando, se exercitando ou fazendo acrobacias à espera do pôr do sol para deixar o lugar.

Já escolheu seu roteiro de mochilão na América do Sul? A gente te ajuda a montar um incrível!


14 de jun de 2018

Aventura na Rússia: Intercâmbio no país da Copa

Nessa semana, teve início um dos eventos esportivos mais esperados em todo o mundo. E, claro, você já sabe que a gente tá falando de Copa do Mundo! Mas, se quando você pensa em futebol, lembra logo das cores verde e amarelo, nesse ano o esporte ganhou mais algumas cores: o azul e vermelho da bandeira da Rússia. É que o maior país do mundo é sede do evento que começou nessa quinta-feira. 



E por falar em a Rússia ser o maior país do mundo, um território tão grande também tem espaço pra muitas curiosidades. Sabia que o país tem, ao todo, nove fusos horários por conta de sua extensão? O Brasil, por exemplo, tem apenas quatro. 



Agora, essa curiosidade é insuperável: se você acha que o dia 25 de Dezembro é data marcada no calendário mundial pra comemorar o Natal, é melhor esperar um pouco. A Rússia comemora a data natalina no dia 07, e não de Dezembro, mas de Janeiro! E isso por causa do cristianismo ortodoxo, religião predominante no país. 

E, claro, não dá pra falar de Rússia e não comentar sobre o frio que faz no país, realmente congelante! 

A cidade mais fria do mundo só podia estar por lá: Yakutsk, na região siberiana do território russo, pode alcançar os -50°C! 

Mais uma curiosidade sobre a natureza de lá?! Na Rússia existem, em média, 120 rios.

O país é conhecido por sua história, eternizada em monumentos como a Praça Vermelha, patrimônio cultural da UNESCO e a muralha do Kremlim, sede do governo russo, ambos na capital Moscou. 

Outra cidade russa que vale à pena conhecer é São Petersburgo, a segunda maior do país e a que mais recebe turistas. 

Marcas registradas dessa cidade são os canais a estilo de Veneza e a igreja mais famosa do lugar, a Catedral do Sangue Derramado, com uma arquitetura super inovadora e peculiar.

Além de todas essas curiosidades, a Rússia também é um super destino de intercâmbio! 

Se você ficou curioso pela cultura do país para onde os holofotes do mundo estarão direcionados nos próximos dias, que tal agendar sua próxima aventura pra lá e aprender o idioma russo? 

Fale com a gente e saiba mais sobre embarcar em um intercâmbio para a Rússia! 😎

8 de jun de 2018





Em várias modalidades de intercâmbio, seja no programa de aprendizado de línguas, ensino médio, au pair ou férias, é muito comum que os estudantes permaneçam nas chamadas “host families”, que são as casas de família. Desse modo, para ter uma experiência completa e enriquecedora em termos culturais, é importante saber lidar com a host family. Tendo isso em mente, listamos  5 vantagens e as razões para optar pelo host family intercâmbio:

1- Imersão no idioma
Tanto faz se o país escolhido é França, Estados Unidos ou Japão. Se a idéia é entender como os moradores falam, pensam e agem, expressando todas as situações através do idioma, o melhor a se fazer é prestar atenção e aprender o máximo possível.


Uma imersão de três meses em um idioma pode melhorar o desempenho com a língua de forma única e a idéia é tirar o máximo de proveito disso.
Quer um exemplo de como fazer isso? Pegar ônibus, perguntar coisas fúteis na fila do supermercado, conversar com atendentes de lojas sobre roupas e sapatos, ir a um restaurante e bater um papo com o garçom, entre muitos outros hábitos dos locais, é a melhor dica de como imergir na cultura do país escolhido para fazer host family intercâmbio.

2- Conhecer excelentes lugares não-turísticos
Outra vantagem que pouca gente observa é descobrir os melhores bares, pub’s, lanchonetes, restaurantes, melhores pontos da cidade e coisas do tipo, que são preferidos dos moradores.

De praxe, esses lugares são maravilhosos, mas não estão na lista dos sites de turismo. São frequentados pelos nativos e por isso são mais baratos. Aliás, está aí uma ótima forma de economizar dinheiro viajando para o exterior através do host family intercâmbio.

3-  Conheça a culinária local de verdade
O contato direto com os moradores e seus costumes explica verdadeiramente o que é o host family intercâmbio e dá a real noção da imersão cultural.

Como o intercambista participa de toda a rotina da família, é possível saber os hábitos alimentares de uma cidade ou bairro, os temperos usados por uma família, bebidas consumidas com maior ou menor frequência entre muitos outros detalhes.

4- Companhia para sair e se divertir
Dependendo da idade dos membros da família acolhedora, é possível estabelecer uma boa relação com eles e aproveitar a companhia dos pais e irmãos adotivos para sair e conhecer lugares novos. Afinal, é isso o que é host family intercâmbio: aproveitar a companhia da família estrangeira para mergulhar fundo numa nova cultura.
Claro que nem sempre a família poderá ceder o seu tempo ou nem terá o perfil de ir a uma balada, mas, com sorte, é possível juntar o útil ao agradável. Depois de um aula em um curso de inglês por exemplo, que tal chamar a irmã adotiva para um programa  escolhido por ela? Ou ser apresentado para os primos adotivos em uma saída ao shopping?
5- Escolha uma família local e não de imigrantes
O fato é que quem vai para outro país estudar sua cultura prefere mergulhar na raiz de seus costumes e principalmente ouvir o idioma falado por nativos. O que é o host family intercâmbio senão exatamente isto? Portanto, a vantagem nessa modalidade é escolher famílias locais, nativas, com boa bagagem cultural do país, capazes de ensinar sobre seus costumes e dispostas a receber bem seus hóspedes estrangeiros, coisa que uma família de imigrantes não será capaz de fazer.
Sendo assim, ao se hospedar com uma boa host family, resta ao intercambista aproveitar plenamente essa oportunidade única e inesquecível que apenas um intercâmbio pode proporcionar.

E você? Está planejando um intercâmbio e está em dúvida de que tipo de acomodação escolher? A gente dá toda orientação necessária na hora da escolha.


1 de jun de 2018

12º Embarque na Euro: em clima de contagem regressiva!

Há quase um mês da melhor viagem de todos os tempos, nada melhor do que juntar todo mundo que vai embarcar na euro, né?! Uma turma super especial de sortudos que já estão com o coração pronto e na maior expectativa pra conhecer o que tem de melhor em Portugal, Inglaterra e França durante as férias de Julho!


E, por isso, ontem foi o dia do nosso segundo encontro! A gente aproveitou o feriado para reunir a galera em uma noite cheia de conversas, sorrisos, self's, muuuuito hambúrguer e batata frita! 



E já que estávamos lá, por que não pegar uns depoimentos pra sondar as expectativas deles?! O Augusto, que ganhou o prêmio de o mais famoso e comunicativo do grupo, foi o primeiro a falar! 😂 

Um das maiores expectativas dele é para conhecer os famosos estúdios do Harry Potter, na Inglaterra! E além, é claro, de experimentar a culinária dos países da Europa. Já a Ana Carolina falou sobre adquirir novas experiências de vida, já que essa viagem vai ser a estreia dela em um país no exterior! A Flávia também contou pra gente que um dos objetivos da viagem é saber como é a vida lá fora, e que até tem planos pra morar na Inglaterra no futuro! Outro entrevistado foi o Gustavo, que tá ansioso pra conhecer os estádios europeus de futebol, tipo o do Arsenal, sabe?! 😎



Já deu pra perceber que um roteiro incrível como o do Embarque na Euro agrega todos os gostos, né? De cinema a futebol, passando por culinária e muita cultura! Então gente, depois do nosso segundo encontro, é hora da contagem regressiva! Dia 11 de julho está chegando, junto com a melhor viagem das nossas vidas! Até lá! 💙

Vamos matar um pouco da saudade do nosso encontrinho 💖
...